Quais são os modelos de orçamento para um bom planejamento?

modelos de orçamento

Quais são os modelos de Orçamento

O Orçamento de Obra pode ser elaborado em diversos momentos do Ciclo de vida de um projeto.
Assim como os projetos (arquitetônico, estrutural, etc..) possuem diversas fases de detalhamento, o mesmo ocorre com o Orçamento.

Basicamente o que determina o grau de detalhamento e aproximação do orçamento é a quantidade de informações disponíveis para sua elaboração.

Em geral posso dizer que existem 4 tipos de Orçamentos:

  • Orçamento Ordem de grandeza
  • Orçamento de Viabilidade
  • Orçamento Pré-executivo
  • Orçamento Executivo

Normalmente é associado um Grau de Incerteza que mede a faixa de assertividade de cada tipo de Orçamento. Quanto mais maduro está o projeto, com maior riqueza de informações que permitam o orçamentista compreender o que será executado e como será executado, mais o orçamento se torna próximo à realidade que será a obra. E, consequentemente, menor o Grau de Incerteza.

Logo, quanto menos informações, maior o Grau de incerteza. Bastante lógico, não?

No Quadro resumo abaixo é possível compreender a Evolução dos 4 tipos de orçamento, desde aquele menos preciso até o mais preciso, que é o Orçamento Executivo.

Orçamento Ordem de grandeza

Projetos que estão no início do ciclo de vida, normalmente são calculados para se obter uma Ordem de grandeza do custo de execução. Não existe projeto, existe apenas uma ideia do será feito, do tamanho, não se tem especificações, e informações precisas. Por este motivo nesta fase a margem de erro por chegar a 35% para mais ou para menos.

Orçamento de Viabilidade

Avançando um pouco mais, temos o Orçamento utilizado em estudos de viabilidade. Já existe um grau de informações maior do que o ultimo e é possível criar meios de se calcular o custo da obra utilizando algumas premissas para aquilo que não temos. A incerteza neste caso oscila de 25 a 30% para mais ou para menos.

Orçamento Pré-executivo

Com o Projeto de Prefeitura em mãos já se sabe o tipo de obra que se deseja construir, já existe um memorial descritivo da obra. No entanto, ainda não existem os Projetos complementares e nem o Projeto de Arquitetura detalhado. Por isso, o grau de incerteza varia de 10 a 15% para mais ou para menos.

Uma dica muito interessante que pode ser usada para elaboração destes 3 tipos de orçamentos que citei é buscar informações fora dos projetos e elementos disponíveis. Em todas as 3 fases existe uma figura que está diretamente relacionado a concepção do projeto, que é o Arquiteto! Ele pode se tornar um grande parceiro para o planejamento da obra, pois ele saberá quais são as possibilidades para a obra, o que pode ser adotado, o que o cliente DESEJA ao término da obra. Por isso, não deixe de trocar informações com ele, combinado?

Orçamento Executivo

Já na fase de planejamento pouco antes do início da obra, já é possível ter acesso aos Projetos Executivos, Memorial Descritivo de Obra, e se for o caso, Edital de concorrência. É possível utilizar as técnicas ligadas a Engenharia de custos para prever o custo total de execução do projeto. No entanto, ainda assim existe uma margem de erro que neste caso gira em torno dos 5% para mais ou para menos.

Seja qual for o grau de informações que Orçamentista tiver para orçar, é impossível se ter um Orçamento que preveja 100% das variáveis de uma obra. Isso se deve ao própria natureza dinâmica que a construção possui. Por isso, sempre haverá um Grau de Incertezas atribuído ao Orçamento. Isso é natural, ok?

No entanto, o Engenheiro Orçamentista ou Gestor de Custos deve saber que a qualidade do seu trabalho depende de se cercar do máximo de informações, elementos, documentos possíveis para ter um grau de incerteza menor possível.

Para isso, ele tem de seguir os passos corretos para elaboração do seu orçamento, buscar fontes confiáveis de informação, saber analisar dados e ter conhecimento em diversas áreas, como vamos mostrar para você nos próximos artigos.

Fica ligado nas nossas dicas preciosas para tornar seu orçamento cada vez mais próximo da realidade, não perca!

Eng. Luanna Drumond
Eng. Civil CEFET/MG
Pós Graduada em Engenheria de Custos IBEC
Gestora de Custos – BID Gerenciamento

Murilo Barbosa

Murilo Barbosa

Atuou no Pentágono (USA), Metro SP Linha Amarela, Hidrelétrica RJ/MG (UHE Simplício), P. Central Hidrelétrica (Sítio Grande/BA) e em outras obras de infraestrutura no Brasil; Mais de 50 clientes recorrentes; Atuação plena em mais de 12 Projetos de empreendimentos imobiliários | • Engenheiro civil formado pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG); • MBA em Gestão de Empresas pela Fundação Getúlio Vargas (FGV); • Especialista em Estudos de Viabilidade Econômico Financeira pela Universidade de São Paulo (USP); • Sócio da BID Gerenciamento e Planejamento, criada em 2014 como Consultor de Planejamento e Controle de Obras.

Deixe seu comentário

Inscreva-se em nossa Newsletter